quinta-feira, 16 de março de 2017

Jardim absolvido



O Tribunal entende que o antigo chefe regional não se aproveitou eleitoralmente da sua posição no governo regional 

Alberto João Jardim acaba de ser absolvido no Funchal dos crimes de violação da neutralidade e imparcialidade. O processo foi aberto por elementos do antigo PND e referia-se ao comportamento de Jardim enquanto presidente do governo durante a campanha das autárquicas de 2009, alegadamente favorável ao seu partido, o PSD-M.
O tribunal deu razão hoje ao ex-presidente. 

14 comentários:

Anónimo disse...

Absolvido e bem. Os PND's só sabem entupir os tribunais com mariquices.

Anónimo disse...

Deus queira que ainda tenham que pagar custas do processo. Falar dos outros não os torna Santos apenas pecadores ressabiados. A extinção do PND fala por si.

Anónimo disse...

Olha os mijinhas aqui a dar de si. Depois que o chefe foi entalado andavam para aí ao tombos.

Anónimo disse...

Não sei porquê, mas hoje pensei no famoso juiz nazi Roland Freisler. O juiz favorito de Hitler. Um gajo pensa em cada coisa!..

Miss Take disse...

Vem propósito, excelente programa na RTP—M do Jornalista Virgílio Nóbrega sobre AJJ! Parabéns aos 3.

Anónimo disse...

A RTP/Mamadeira a branquear o passado fascista do nosso ditadorzinho da tabanca! É mesmo do arco da velha dizer que a criatura estava ao lado dos que fizeram a revolução antes do 25 de abril de 1974! Os textos do jardinzinho no diário do seu tio Agostinho Cardoso representante do fascismo na madeira, era a elogiar o regime ditatorial, e vem agora um jornalista se esquecer deste importante pormenor e branquear a história!

Anónimo disse...

Por mera coincidência do Sousa da Rua da Praia, a RTP-Mamadeira estreou ontem um programa sobre a canonização do Santo Alberto. Parece que estão a tentar ressuscitá-lo pois a Igreja só canoniza santos depois de mortos.
Mas o mais grave foi ver a maioria a quem AJJ achincalhou, insultou, gozou, assassinou moralmente; virem de olhos fixos na câmera, elogiar o deposto tiranete!
O madeirense tem mesmo memória de carrapato... Ou será o Síndrome de Estocolmo? Ou masoquismo endémico?
Do visado, a mentir e a reescrever a sua biografia, já era o que se esperava. Nada de novo nem de surpreendente, atendendo á modéstia do ilustre...
Mas um rol de escorraçados durante 40 anos a elogiá-lo? Que falta de amor próprio... Lá haviam uns que foram cúmplices do PSD, é razoável... Mas a morsa do Seixal já nem esconde a promiscuidade... É o PS do "Grupo do Éden" que apoia o Cafofo, o mesmo que vangloria o Santo Alberto!
Estou ansioso para ver a segunda parte do programa "Santo Alberto de Pau Carunchoso ao altar, já"!

Luís Oliveira (um espectador da RTP-Mamadeira nas horas vagas)

Anónimo disse...

Aquele programa até deu vontade de vomitar, de tão sabujo e tendencioso que foi.
Além de revelar uma enorme ignorância histórica.

amsf disse...

Poderão ter persuadido os entrevistados de que o programa só seria transmitido após a morte do homenageado e como toda a gente sabe é feio falar mal dos mortos.

Anónimo disse...

O programa mostra bem o servilismo doentio dos vendidos, os entes com alma de escravos que se marimbam para os desgraçados que chegam ao fim do mês e não têm de comer porque os salários vão todos para pagar os impostos destes vigaristas. Viva o Cuba Livre! RTP/Madeira antro de vendidos e sabujadores.

Anónimo disse...

Vi o programa da RTP sobre o nosso ditador residente, e deu-me logo um desarranjo intestinal.

Anónimo disse...

Gostei de ver na televisão da Mamadeira, o jornalista a entrevistar o jornalista que fez a glorificação do Grande Líder! Nem na Coreia do Norte!

Anónimo disse...

há quem, simplesmente, não goste do Alberto João e para esses deve ter siso um tormento ver o programa. Não vejam, continuem na sua, cegos e surdos.
Vi um programa sobre um Homem com História, bem feito, num trabalho jornalístico pouco comum e do melhor que se faz na televisão Portuguesa.

Anónimo disse...

E o tipo da RTP já veio para aqui carpir mágoas, já agora porque não fazem um programa sobre o Fulgêncio Batista na Madeira ou do Patrão do Grupo Sousa?