sexta-feira, 17 de março de 2017

Esclarecendo


O Arquitecto Luís Vilhena mandou para a caixa de comentários a sua 'reacção à reacção' que um Leitor do Fénix debitou ao ler um artigo de opinião sobre o Savoy publicado no JM pelo mesmo Arquitecto, deputado socialista em São Bento. Para igualdade de tratamento, expomos nesta página do Fénix o esclarecimento do Arquitecto Luís Vilhena, de modo a que o texto permaneça mais acessível aos frequentadores deste 'Blog de Anónimos' - nas palavras do articulista em questão. 




De vez em quando sou encaminhado para este Blog de Anónimos a propósito de algum assunto que me chamam a atenção. Desta vez é sobre um artigo de OPINIÃO que escrevi no Jornal da Madeira publicado ontem, dia 15/03/2017.
Hoje, como a missiva anónima me é dirigida e incorre num erro básico, entendi que talvez fosse bom esclarecer o ‘leitor que reage’ e os outros anónimos amigos, mesmo àqueles que não sabem escrever português.
Como devem saber, sou deputado pelo PS na Assembleia da República, o que não me compromete minimamente com as decisões políticas da Câmara Municipal. Eventualmente, o facto de eu ter sido mandatário da lista Mudança que ganhou a Câmara, poderia ter-me comprometido com o seu programa eleitoral, mas depois das eleições, esse eventual compromisso deixou naturalmente de existir, pois não tive qualquer ligação ao exercício do atual mandato.
Não percebo também a acusação de demagogia. O que fiz foi opinar sobre uma obra que está a ganhar corpo e que comprova aquilo que tenho vindo a dizer desde 2005. Sim, senhor anónimo, não é de agora.
.
Se soubesse do que está a falar tinha conhecimento que na ata de 2005.11.30 a Câmara emendou a mão para disfarçar o escândalo ao anular a decisão de fazer um plano de pormenor que se chamava Plano Savoy . e lançar o PUI.
.
Na reunião de Câmara de 2007.12.06 consta da ata uma intervenção minha onde denunciei a decisão gravíssima de suspender os artigos do PDM referentes às classes de espaço turísticas adaptando o que estava no Planos de Ordenamento Turístico para intervenções de âmbito turístico em zonas urbanas consolidadas.
.
Na reunião de Câmara de 2007.11.29 onde foi votado o Plano de Urbanização do Infante apresentei uma declaração de voto que termina dizendo:
Esta proposta de Plano não é, definitivamente, um bom exemplo de planeamento e inclusivamente duvidamos da sua legalidade-----
.
Enquanto cidadão, escrevi já na altura num espaço de OPINIÃO que tinha no Diário de Notícias da Madeira pelos menos 3 artigos de onde me referia ao escândalo do Savoy (2007.04.26; 2008.11.29; 2009.02.24)

Mais recentemente escrevi em artigos de OPINIÃO no Jornal da Madeira (2015.12.16; 2016.01.20; 2016.06.15) tal como no artigo de ontem dia 15/03/2017, a minha opinião sobre o assunto.

Em Dezembro de 2015 escrevia ‘Tive até a esperança que a nova Câmara tomasse as diligências necessárias para endireitar o que torto tinha nascido. Mas parece que não e em breve, teremos então o arranque da obra que constituirá mais um abcesso nesta bela cidade do Funchal.’

E em Janeiro de 2016 escrevi:
(...) quem foi o responsável por aquela ‘coisa’ ali ter aparecido.
A resposta é, fomos todos nós!(...)
.
Pois Sr. Anónimo, poderei não ter feito o suficiente para que aquele aborto esteja a ponto de ser parido na cidade do Funchal, mas certamente fiz mais que o Sr. Anónimo que nem sequer é capaz de colocar um nome debaixo do que escreve, pá.
.
Quanto aos outros amigos anónimos é tanto disparate que apenas respondo a algumas criaturas que indiciam ter mais que dois neurónios. 
O edifício que existia do Hotel Savoy tinha 42.000m2 de área bruta de construção, o PDM permitia apenas 31.800 (no caso de demolição do existente e construção de um novo edifício) e o que ficou definido no Plano de Urbanização foi 64.700m2 (mais do dobre que era permitido no PDM). Não, neste caso não ‘direitos adquiridos’.
.
Eu não participei em discussões públicas porque era vereador. Ok? O Sr. Anónimo participou?
.
Quanto à minha prestação enquanto deputado podem ir ver aqui https://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/ActividadeDeputado.aspx?BID=6188&lg=XIII e estejam à vontade para julgar o que entenderem. 
.
Aos anónimos que excretam o seu ódio e frustrações aqui neste blog ou através de perfis falsos no facebook, façam-se homenzinhos e tenham tomates para assinar o que escrevem.
.
Quanto ao Luís Calisto, que dá guarida a esta cambada, deveria reler a coluna esquerda do seu blog.



Nota do Fénix - Não preciso de reler a coluna esquerda do blogue, porque a sei de cor. O Blogue tem rosto e conta com variadíssimos colaboradores que assinam o que escrevem. Mas, como bem repara o Arquitecto, tem outros que escrevem com pseudónimo. Sendo os comentadores quase todos anónimos. Lá saberão em que terra vivem - e não fui eu que a tornei assim. Mas o anonimato de comentários infelizmente não se pratica só aqui. Já agora - a propósito da coluna esquerda - informo o Arquitecto Vilhena que ignoro, 'mandando para canto', uns 80% dos comentários que cá chegam, por os considerar impublicáveis, o que muitas vezes me vale o epíteto de censor. Em resumo, é com muito gosto que faço parte desta cambada que vai desbobinando ideias boas e más no Fénix. E creia que para ter o prazer de o fazer vir aqui mais vezes, continuaremos a mostrar serviço aos informadores que lhe dizem o que por cá se passa, obrigando-o a clicar 'Fénix'.
Luís Calisto 

12 comentários:

Anónimo disse...

ora , entao acuse o Senhor Cafofo de ter permitido o licenciamento deste monstruzinho, pà..Sim pá, porque voce devia ter sido candidato era por lá , pá !

Anónimo disse...

Esta esquerda sempre se deu mal com a liberdade de expressão. Mesmo os peseudo-independentes como Paulo Cafôfo, que ameaça uns com processos e pede a demissão de directores de jornais...

Quanto à "reacção à reacção" do sr. deputado (por vezes nos esquecemos que ele por lá anda, tanta é a sede de protagonismo do seu colega de bancada, é de uma desonestidade intelectual tremenda, esquecer que foi que assinou para a obra avançar. Não é, pá?...

Anónimo disse...

Ao comentarista das 09,16h
Com essas 3 TRES (pá) já tinham construído o Hotel, PÁ!!!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Sr Arquitecto Vilhena, o Sr é deputado do Partido Socialista pelo circulo eleitoral da Região Autonomia da Madeira, foi eleito por parte do povo Madeirense que votou em si, não pelo povo de Setúbal ou Arraiolos pá, e da mesma forma, o senhor foi mandatário (ainda bem que lembrou) da coligação "Mudança" do qual o PS (o seu partido) faz parte integrante e dominante, portanto caro senhor, estamos falados quanto a isso, quanto ao facto de vossa excelência se dar mal ou bem com o atual executivo da CMF, isso para nós Povo Madeirense (Do vale à montanha e do mar à serra) não importa, não estamos interessados nas vossas novelas mexicanas, o facto é que são todos o mesmo partido, PS, e o facto é que tiveram todas as hipóteses de impedir a obra em questão, pois quando tomaram o poder em 2013, apenas tinham lá um buraco no terreno, um plano urbanístico fora de prazo e uma licença de construção a caducar, cenário perfeito para Abortar a obra..percebeu?!E antes de falar sobre a consciência dos outros, como fez no artigo do JM, pense na sua própria consciência! Passe bem!






Anónimo disse...

Excelente resposta, muitos arquitectos desta terra de imbecis nunca tiveram a coragem de escrever artigos sobre a anarquia urbanística do Funchal, o único que ao longo dos anos, desde os tempos duros do jardinismo, tem tocado neste tema com coragem, é o sr. Arq. Vilhena. Continue que a cidade agradece. Os meus parabéns pelo seu trabalho e não ligue a piranhas...

Anónimo disse...

Assim mesmo! Quando se nada num mar cheio de cagalhões a melhor maneira é afastá-los com cuidado para não se desfazer a m... Bem respondido!

Anónimo disse...

100% de acordo com o anónimo das 15:50 de 17 de março.
Só acrescento:a anarquia urbanística do Funchal, que está à vista de todos, construída,em roda livre, durante décadas na cidade.Negar, como?

Anónimo disse...

Só é pena não ter esclarecido que o seu amigo "socialista" Cafofo podia perfeitamente ter impedido, de forma muito fácil, que o atual projeto do Savoy visse a luz do dia.
Mas apenas menciona os outros, e isso, pá, é demagogia!

Anónimo disse...

É de conhecimento publico, que o Arq. Vilhena não é da linha do sr. Paulo Cafofo, aliás, até o considera uma fala barato.

Anónimo disse...

Como é que o actual presidente da Camara, "podia perfeitamente ter impedido de forma muito fácil"o projeto do Savoy? Explique-se. Sobretudo o muito fácil.E sem implicar indemnizações chorudas, porque milhões de dívidas já ele herdou e já pagou quase tudo. É obra.

Anónimo disse...

Olha o cantor, apareceu a defender a sua dama!!!

Anónimo disse...

Cada vez fica mais evidente as razões que levaram Cafofo a escorraçar o Vereador Gil Canha, ele atrapalhava os grandes tubarões, como foi este caso.