terça-feira, 21 de março de 2017

Comunicado da Cosmos




Grande atentado ambiental 
na Madalena do Mar



A Cosmos - Associação de Defesa do Ambiente e Qualidade de Vida, vem por este meio chamar a atenção da opinião pública madeirense para um grave atentado ambiental que está a decorrer na foz da ribeira da Madalena do Mar, Concelho da Ponta do Sol.  
Desde finais do ano passado, que máquinas pesadas e camiões da empresa AFA, com o conluio do Governo Regional, estão a retirar diariamente toneladas de inertes da foz desta ribeira, nomeadamente calhaus e areias. 
Esses materiais, que estão a ser retirados criminosamente da foz, são essenciais para alimentar toda a frente-mar da Madalena do Mar, e assim defender essa linha de costa dos avanços crescentes do mar. Como já está comprovado cientificamente, o oceano tem subido o seu nível médio, e está a se tornar cada vez mais transgressivo, pondo em risco infraestruturas viárias, moradias e terrenos à beira-mar. 
A melhor forma de nos defendermos deste avanço, é ter uma praia “bem alimentada” de inertes, o que não está acontecendo, pois esses materiais estão a ser “saqueados” sem quaisquer contrapartidas para a região, embora esta associação tenha conhecimento que a autarquia da Ponta do Sol tem defendido que esses materiais devem ser espalhados ao longo da praia, precisamente para não deixar que o mar descalce o muro da estrada marginal e não ponha em causa a segurança e os bens da população local. Infelizmente, esses apelos não têm sido considerados pelo Governo Regional, que continua apostado em favorecer vergonhosamente esta grande empresa de Construção Civil.
E o mais escandaloso, é que foi esta empresa que destabilizou e “descalçou” as vertentes a montante desta perigosa ribeira, criando em alguns locais, aterros clandestinos e pedreiras, que após chuvas intensas, essa mesma empresa recolhe com grandes lucros, o material lavado na foz.

Funchal, 21 Março de 2017

A Direção

Dionísio Andrade

8 comentários:

Anónimo disse...

Criminoso seria não desassorear a foz da ribeira e esperar que ela transbordasse.

Anónimo disse...

Os "tubarões do regime" continuam a sua matriz predadora e nada lhes acontece! Onde anda o Ministério Público que não vê estes atentados ambientais?

Anónimo disse...

Infelizmente vivemos numa ilha sem rumo! O ambiente está claramente para segundo plano, ninguém se manifesta, fazem o que querem, ninguém processa quem permite tal atentado ambiental. Demonstra claramente que estamos a ser governados por pessoas que não querem saber do futura para nada! O importante é o bem estar de alguns no presente. Arranjam desculpas para todas as aberrações cometidas nesta ilha, deveria ser proibido retirar uma pedra de calhau das escassas praias da nossa ilha. As praias são alimentadas pelas ribeiras, sempre foi assim, assim deveria continuar, com legislação rigorosa!
Infelizmente esse abuso acontece em toda a ilha, com a benevolência do G.V e presidentes de câmaras. Muitas vezes comento com os meus amigos que as futuras gerações vão conhecer as nossas praias apenas em museus!

Anónimo disse...

Resposta ao anónimo das 16:40
Pelas palavras, ou é um lacaio do AFA ou tem farelo na cabeça. Desassorear a foz da ribeira e espalhar o material pela praia é o que defende o comunicado, não é andarem a roubar aquilo que é importante para defender os nossos bens e infraestruturas.

Anónimo disse...

A minha casa é ao lado do cemitério e vejo todos os dias o mar a galgar e os ladrões a roubarem a pedra bem lavadinha da ribeira. F. da p...

Anónimo disse...

Parabéns Cosmos pelo alerta e dizem bem o sr. Presidente da Câmara da Ponta do Sol foi sempre contra a rapina do AFA

Anónimo disse...

A culpa é do Cafôfo!!!

Anónimo disse...

E o Plano de Gestão de Riscos de Inundação (que está em consulta pública) que nada diz sobre sobre os riscos de inundação costeira...