quarta-feira, 8 de março de 2017

Comemoração



Sara Madruga da Costa, oradora em conferência na Faculdade de Direito de Lisboa sobre o Dia Internacional da Mulher

A deputada à Assembleia da República Sara Madruga da Costa, participou como oradora numa conferência sobre o Dia Internacional da Mulher, na Faculdade de Direito de Lisboa, in Memoriam da prof. Dra. Isabel Magalhães Collaço, primeira mulher a doutorar-se em Direito em Portugal.
Para além da deputada madeirense, integraram o debate as professoras da Faculdade de Direito de Lisboa, Maria Fernanda Palma, (segunda mulher a doutorar-se em Direito em Portugal) e Ana Maria Guerra Martins, ambas ex- juízas do Tribunal Constitucional, Susana Videira, Sílvia Alves e Dulce Rocha, Presidente do Instituto de Apoio à Criança.
Entre outros temas, foi abordada a igualdade de direitos, a discriminação da mulher em tempos de crise e a participação política feminina.
Coube à deputada Sara Madruga da Costa, uma das sete cabeças de listas femininas às últimas eleições legislativas nacionais e a primeira cabeça de lista mulher eleita pela Região Autónoma da Madeira, falar da participação política no feminino.
Pela primeira vez, a XIII legislatura da Assembleia da República, é composta por um terço de mulheres, o que revela o aumento da participação política das mulheres também no parlamento.
A deputada saudou em primeiro lugar o exemplo de determinação e persistência da prof. Dra. Isabel Magalhães Collaço, primeira mulher a doutorar-se em Portugal em 1954, que será para sempre recordada como uma grande figura do Direito e da investigação jurídica.
“Ainda existe um longo caminho a percorrer na igualdade de género e nos direitos das mulheres”, referiu Sara Madruga da Costa, “as mulheres continuam inexplicavelmente a ganhar menos do que os homens, a ter dificuldades por exemplo a lecionar nas universidades como professoras auxiliares, apesar de mais de metade dos recém doutorados em Portugal serem mulheres, ou a aceder a cargos de chefia e liderança nas empresas”, disse.
“Por isso, nunca é demais, falar e refletir sobre estes temas. Nunca é demais defender a necessidade de melhores condições para as mulheres, de reclamar por um maior investimento nas infra-estruturas de apoio às famílias, por mais medidas de incentivo à natalidade e de proteção à maternidade, de pugnar pela eliminação da desigualdade salarial entre mulheres e homens”, referiu Sara Madruga da Costa.
Texto PSD

4 comentários:

Anónimo disse...

Esta aparece sozinha e os outros dois entes aparecem juntinhos. É tão óbvio que a maltinha do PSD na República anda de candeias à avessas! Que triste partido que nem os deputados se entendem. Anda tudo de cabeça perdida!

Anónimo disse...

Show off e mais show off, esta figura lembrou-se ontem das mulheres, coitadinha! Se olhasse para o que fazem internamente, em todos os organismos estatais, privados, o que passam as mulheres nos locais de trabalho, ameaças de chefias incompetentes, deveria fazer mais pelas mulheres, ao longo do ano concorda com tudo. Deixe de atirar areia para os olhos.

Anónimo disse...

Esta senhora deputada devia era de estar calada andou a mendigar em santo antónio, e nas freguesias todas para chegar onde chegou, competências (0), eu sou PSD com orgulho mas ate tenho vergonha de ouvir esta senhora deputada a segunda feira, pense antes de falar ficava-lhe melhor

Anónimo disse...

Figura patética