quarta-feira, 15 de março de 2017

Sequestrados na Tabanca


Vagamente, alguns lembraram-se
da falta que o ferry faz...


A Madeira esteve 3 dias, até ver, cercada de vento por todos os lados e mais um - por cima. Salvo as excepções dos pilotos malucos, com o coiro a comer, não se entrava nem saía da Tabanca. Lá pelos Continentes, à falta de melhor, desfrutava-se o espectáculo televisivo da aproximação de um avião à pista de Santa Catarina, que instantes depois borregava mesmo em cima do alcatrão, fugindo aos perigos da aterragem para se refugiar nos ares turbulentos. Na CM TV e quejandas, a cena passava ininterruptamente, como se se tratasse de um fenómeno jamais visto em Portugal e arredores. Como se fosse um ovni a vasculhar a cidade de Santa Cruz.
O facto é que, mais uma vez, os madeirenses sentiram bem o que é estar sequestrado na sua própria terra, sem hipóteses de cá sair ou entrar. Que ouvíssemos, já ninguém se lembrou da falta que um ferry faz aos aborígenes e camones, tal é a desesperança nas promessas do Blue Establishment e seus contrários. Alguns, perante o albergue espanhol montado no Intercontinental da Madeira, tiveram a ideia de retomar a necessidade de baixar taxas aeroportuárias...
Será que os ventos deixariam uma pessoa sair por mar? Provavelmente.
Enfim. Com estas quadrilhas a dirigir a torre de controlo da Broquilhândia, continuaremos sitiados e mal pagos.

14 comentários:

Anónimo disse...

Com o vento que estava e com as ondas a norte haveria de ser uma viagem fantástica de ferry...
O oportunismo político é algo que me dá asco.

Anónimo disse...

O ferry só operaria uma vez por semana...Seria bom, mas nao resolve este problema.
Por muito polemico que seja , um aeroporto para os lados da Calheta era o mais adequado. O Vento Nordeste deste fim de semana nem atingiu o Funchal, tendo tocado apenas na fronteira da Cancela...Enfim,quem projetou este aeroporto naquele local teve mentalidade de Marina do Lugar de Baixo...e agora é tarde.

Luís Calisto disse...

O anónimo das 6.29 acorda cedo como se vê para, como um dos caciques mais vilões da Broquilhândia, vir controlar a opinião de cada um. E chamar 'oportunista político' a quem desafina das loucuras do Blue Establishment.
Acontece que vamos continuar a lembrar-lhes o falhanço grosseiro da promessa do ferry (o cargueiro e o resto também), pelo menos enquanto a não cumprirem. Ou seja, até ao dia em que voltarão de tanga às traseiras da Tabanca. Porque vão cair e nada de ferry.
Ali no meu texto é referido o estado do mar nestes dias, com a pergunta sobre a possibilidade de navegar. Reduzida, claro. Mas o Broquilha ignora o pormenor, para generalizar o 'oportunismo político'. Além disso, o isolamento da falta do ferry, para quem não anda de avião e não apenas, verifica-se permanentemente, não só quando os aviões se divertem a borregar em cima da pista de Santa Catarina.
'Oportunismo político, eu'? Para quê? Por que cargas de água?
Aquela névoa das Angústias não os deixa enxergar um metro à frente do nariz. Se bebessem, pareceriam padecer de delirium tremens, já que sonham alto e atribuem aos outros os seus padecimentos - e os seus oportunismos que, esses sim, dão asco.

Anónimo disse...

Calisto, aquele comentário não é da bebida. É doutro produto...que dá este tipo de ressacas.

Anónimo disse...

Um aeroporto na zona da Calheta tem enormes problemas técnicos.

Anónimo disse...

O broquilha que chama toda a gente de "oportunistas políticos" já é bem conhecido por entre as gentes do psd... Ele não perde uma oportunidade de mostrar serviço político à renovação, onde normalmente gosta de criar generalizações apressadas e pouco abonatórias sobre o que os outros dizem ou escrevem acerca da renovação.

Aterrou no governo com a renovação e o gosto pelo poder foi notório. Esse broquilha amealha conflitos e imcompatibilidades um pouco por todo o partido e governo. Já há quem diga que ele não vai muito longe.

Miguel Sousa disse...

Bem escrito. Assustei ao espectáculo televisivo. Deu vómitos! País com televisões de merda !

Anónimo disse...

O que dá asco é criticar quem critica o asco em que vivemos, isso sim, dá asco.

Anónimo disse...

O Presidente da ANA veio dizer o óbvio, mas que ninguém admite...
A meteorologia e a despesa de aviões em círculo à espera de aterrar, ou regressar à origem, são fatores nada atraentes para a rentabilidade dos voos e para o conforto dos passageiros, que muitos deles não voltam à Madeira.
Tenerife por exemplo tem dois aeroportos, provavelmente para rentabilizar o enorme afluxo turístico.
No caso da Madeira é evidente que os problemas vão aumentar com as alterações climáticas em andamento e com instabilidade cada vez mais assídua e intensa.
Será utópico, porque não há dinheiro, mas uma pista alternativa (sem luxos)seria ideal para os dias negros de vento que cada vez são estatisticamente em maior número de dias por ano...

Anónimo disse...

Utópico ?
Vão pensando sim em alternativa a Oeste onde os dias instáveis não chem a meia dúzia por ano...
Companhias de aviação e turismo vão repensar se vale a pena perder dinheiro e tanto sofrimento.
A AFA para encher os seus hotéis monstrozinhos que vá pensando em descobrir um terreno no seu reino calhetense...

Anónimo disse...

Os sousas vão continuar felizes a mamar do bom enquanto não chegar o navio Armas! Um carro para o continente custa 600 euros nos sousas, no Armas custa 100 euros. Agora vejam quanto é que estes meninos mamam com o monopólio nos portos da região? E os broquilas andam todos as dormir na forma!

Anónimo disse...

É bem feito, o ex PND, o PAN e os motociclistas foram os únicos gatos pingados que apareceram a dar a cara numa manifestação contra a saída do ARMAS. O resto dos madeirenses, como é habito num povo com sangue de escravos, ficaram em casa acagaçados. Por isso levem nos cornos para aprenderem! Viva os Sousas! Viva os Sousas!

Anónimo disse...

Fechamos a ilha de vez, voltamos para o Continente! Estaremos mrlhor em Lisboa, custo de vida mais baixo, deixaremos de estar isolados no meio do nada, neste Tarrafal.

Anónimo disse...

Estas almas renovadinhas nem o transporte de doentes conseguem assegurar quanto mais transportes marítimos?!?!?! Mas estes gajos já fizeram alguma coisa de jeito desde que chegaram???? A não ser safar negócios falidos e coisas que tais?? Enfim